AS LÍNGUAS QUE FALAMOS AFETAM NOSSAS PERCEPÇÕES DO MUNDO

A linguagem que falamos modela a forma como pensamos?

Em todo o mundo são falados cerca de 7.000 idiomas diferentes e cada um requer recursos cognitivos diferentes de seus falantes.

As pesquisas da cientista Lera Boroditsky têm revelado como a linguagem molda até mesmo as dimensões mais fundamentais da experiência humana: espaço, tempo, causalidade e relacionamentos com os outros.

Estudos mostram que mudar a forma como as pessoas falam altera a forma como pensam. Ensinar às pessoas novas palavras coloridas, por exemplo, muda sua capacidade de discriminar cores.

Inclusive demonstram que mesmo algo tão fundamental quanto a pessoa de quem você gosta ou não depende da linguagem.

Uau!

Será mesmo?

A linguagem é uma das capacidades mágicas do ser humano. Podemos transmitir pensamentos complexos entre nós por meio dela. Por causa dessas capacidade nós humanos conseguimos transmitir conhecimento entre mentes.

A cientista Lera Boroditsky explica que podemos colocar uma ideia bizarra na mente de alguma pessoa. Por exemplo, eu poderia dizer: “Imagine um planta dançando ballet na rodoviária enquando faz um discurso sobre política”. Provavelmente você não tenha pensado nisso antes, eu acabei de fazer você pensar nisso, usando a linguagem.

Os idiomas diferem por exemplo, no modo em que são divididos os espectros de cores, ou seja, o mundo visual. Alguns idiomas tem muitas palavras para cores, outros tem apenas duas: claro e escuro.

Por exemplo, em português nós usamos a palavra azul para todas essas cores da figura:

figura 1

Já em russo eles chamam de “siniy” o azul escuro, os de cima na figura e de “goluboy” o azul claro, debaixo na figura.

figura 2

Os russos tem um vida de experiências distinguindo essas duas cores no idioma. Quando são testadas a capacidade das pessoas de distinguir essas cores, é descoberto que os falantes de russo são mais rápidos em distinguir azul claro de azul escuro.

Quando olhamos o cérebro das pessoas ao observarem as cores, por exemplo: pessoas observando cores mudando lentamente do azul claro para o escuro, o cérebro das pessoas que usam palavras diferentes para azul claro e azul escuro mostrará uma reação de surpresa conforme as cores mudarem, o cérebro delas dizem algo como: “Algo claramente mudou!”, enquanto que o cérebro de pessoas que falam português ou inglês, que não fazem essa distinção específica, não tem essa reação, porque no cérebro delas nada mudou claramente.

Percebeu como algo simples tem grandes consequências?!

Pessoas que falam vários idiomas prestarão atenção em coisas diferentes, dependendo do que o idioma pede para ela fazer.

A mesma coisa acontece com as pessoas que aprendem tipos diferentes de linguagem como a corporal, por exemplo, ou que estudam um determinado curso/graduação e aprendem a utilizar novos vocabulários, elas estão sensíveis à observar e interpretar coisas que as outras pessoas não estão.

A beleza da diversidade linguística é que ela revela para nós o quão genial e flexível é a mente humana.

Como é que você pensa?

Como a linguagem que falamos modela como pensamos?

Porque você pensa da maneira em que pensa?

Como poderia pensar de outra forma?

figura 3