O QUE FAZER PARA EVITAR A FRASE: “EU NÃO ENTENDI NADA”

Hoje separei 3 estratégias de comunicação que você pode utilizar no contexto profissional e pessoal para o seu discurso não ser em vão. Com a finalidade de despertar a atenção do seu ouvinte, criar conexões com ele e estimular um comportamento proativo.

#1 Criando memórias:

Se o nosso cérebro fosse um computador, nossas habilidades seriam os softwares que precisam ser atualizados constantemente a partir da experiência do usuário (você mesmo).

Perceba que nessa frase acima eu expliquei um conceito (as habilidades) fazendo analogia com uma linguagem que já é entendida pela maioria das pessoas (computador). Quando nós utilizamos uma informação que a pessoa já conhece para explicar um novo conceito, além de favorecer didaticamente o entendimento, você também cria imagens mentais e atalhos de memória. Isso quer dizer que ela irá absorver com mais empatia a informação, e mais, ela se lembrará com mais facilidade e irá conseguir transpor esse conhecimento para outras situações.

Esse é um recurso muito eficiente para ser usado em diversas situações: textos, vídeos, aulas e palestras.

#2 Criando familiaridade:

Estimule o movimento do quadril para soltar a articulação presa, para ajudar coloque uma música que te “peça” para fazer isso, um funk, salsa, música árabe, batidas de tambor, aquilo que for mais agradável para você.

Quando aproximamos o conteúdo com as preferências pessoais de cada pessoa, nós despertamos motivações que farão ela conseguir colocar em prática o que você está propondo. Isso acontece porque as pessoas conseguem enxergar que aquilo que você está falando se encaixa com ela, acontece uma identificação e esse é o primeiro passo para a empatia.

Esse recurso pode ser utilizado desde adesão a tratamento, bem como em aulas, feedback, relacionamentos entre pais e filhos, etc.

#3 Conversando com o mundo:

Oxi, tu não viu o que aconteceu? Ele publicou um #tbt surpreendente.

Observe que na frase acima existem diferentes linguagens mescladas. Expressões e sotaques de regiões diferentes do Brasil: oxi (nordeste) e tu (sul), bem como linguagens da internet (#) e idiomas diferentes (tbt – throw back Thursday). Quando mesclamos expressões, idiomas e linguagens distintas, nós conseguimos conectar com a audiência, fazemos uma síntese de toda essa diversidade e isso cria pontes entre as pessoas. Como um cappuccino que faz uma mistura boa entre universos diferentes (café, leite, chocolate e canela) e cria algo diferente, que tem características incríveis justamente pela mistura, que não teria se estivessem separados.

Esse recurso pode ser usado em qualquer contexto onde existir comunicação verbal e não-verbal, oral ou escrita.