OS 3 TIPOS DE CLIENTES

Você que vende um produto, uma ideia ou um serviço, precisa antes de tudo, entender quais são os seus potenciais clientes, para cada um existem estratégias diferentes a ser utilizado. Eles podem ser classificados, segundo Érico Rocha, em 3 tipos:

#1 SABE QUE PRECISA E ESTÁ BUSCANDO O PRODUTO:

Esse cliente sabe que precisa do seu produto e está procurando pelo seu produto.

VANTAGEM: Ele está pronto para comprar, então você não precisa quebrar tantas objeções, se ele encontrar o seu produto, a venda é quase certeira.

DESVANTAGEM: O problema desse tipo de cliente é que você provavelmente encontrará muita concorrência. Se seu cliente procurar pelo seu produto no google, por exemplo, provavelmente chegará até ele apenas os top do mercado e se você ainda não for um deles será difícil do seu cliente te encontrar.

#2 SABE QUE PRECISA, MAS PROCRASTINA:

Esse cliente sabe que precisa do seu produto, mas ele ainda não está procurando por ele. Como é da natureza humana procrastinar, esse mercado costuma ser 20 vezes maior do que o #1.

VANTAGEM: Maior número de pessoas, um pouco mesmo de concorrência, não precisa mostrar para o cliente que ele precisa do seu produto.

DESVANTAGEM: Você vai precisar de mais energia para convencê-lo a romper a procrastinação e efetivamente comprar o seu produto que ele já sabe que precisa.

#3 NÃO SABE QUE PRECISA DO SEU PRODUTO:

Esse cliente não sabe que precisa do seu produto, portanto, não está buscando por ele. São os tipos de cliente que tendem a dar maior retorno em relação às vendas, porque nesse mercado a concorrência é quase zero e tende a ser um público 50 vezes maior que #1.

VANTAGEM: Maior quantidade de pessoas, existe ainda menos concorrência e margem de lucro maior.

DESVANTAGEM: Você precisa de mais esforços, energia e técnica para atingi-lo.

Para as pequenas e médias empresas é mais vantajoso e rentável focar no cliente #3, pois nesse mercado a oportunidade de crescimento é muito grande. O que você precisa fazer para vender para esse público é criar relacionamentos e por meio de uma linguagem que conecta “educar” o público, mostrando que ele precisa do seu produto, nesse caso desenvolver a habilidade interpessoal é crucial.