COMO RESPONDER AS CRÍTICAS

Não é raro ao ouvirmos uma crítica termos dificuldades em nos concentrar nos sentimentos e necessidades que quem está falando. O mais comum é assumir a responsabilidade pelo sentimento do outro e tomar a mensagem como pessoal. O problema é que quando fazemos isso não conseguimos ouvir com empatia, o que dificulta na formulação da sua resposta, principalmente quando você está ali ao vivo com a pessoa.

O que você responderia se ouvisse: “Você não trabalha bem em equipe”?

Provavelmente você pensaria que ele está insatisfeito com você ou acharia justificativas para explicar o comportamento ou se sentiria culpado, então suas respostas seriam guiadas por isso. Mas se você não tomar essa frase como pessoal e conduzir sua escuta no que está acontecendo dentro dele, se concentrando no que ele está sentindo e precisando,  achará as pessoas menos ameaçadoras.

Se pegar as pistas a partir do conteúdo da mensagem e identificar as necessidades que não foram atendidas, as chances são de você se sair com maior jogo de cintura da situação, visto que tirou o foco do que ele estaria pensando a seu respeito.

Se pegarmos essa frase que usei de exemplo, pode não ter exatamente as informações que a pessoa está observando em nós, mas quase sempre conseguimos deflagrar o comportamento que gerou a afirmação. A minha sugestão é tentar adivinhar os sentimentos e necessidades e depois confirmar com a pessoa. Então você poderia responder “Você está insatisfeito porque estava precisando de…?”.

Quando ouvimos os outros sem achar que fizemos alguma coisa errada fica muito mais fácil de ouvir com empatia e responder de forma mais empática também, além de diminuir as respostas emocionais do corpo, que pode nos dar branco, deixarmos com as bochechas vermelhas e suor frio.